Baixo (SADIE, 1994, Baixo)
As notas mais graves do sistema musical. Em uma composição, refere-se à parte mais grave de qualquer combinação sonora e, desde o século XVI, vem desempenhando papel fundamental na técnica de encadeamento harmônico desenvolvida na música ocidental. Aplica-se à nota de base de um acorde, à parte mais grave de uma estrutura polifônica, ao registro inferior e à voz masculina mais grave. A palavra - tal como "base" - vem do latim bassus ("baixo" "espesso") e apareceu pela primeira vez na música c.1450, quando a parte mais grave de contratenor numa estrutura em quatro partes passou a ser chamada de "contratenor bassus". Na música barroca, a existência do BAIXO CONTÍNUO mostrou a importância da parte do baixo no domínio da harmonia.

O registro vocal baixo tem um alcance normal de Fá1-Mi3, e assegurou seu lugar na polifonia dos séculos XV e XVI. Nas primeiras óperas era usado principalmente em papeis de deuses ou figuras misteriosas, embora mais tarde também tenha caracterizado personagens de pais idosos, generais, e às vezes reis. No século XVIII, a voz baixo foi muito utilizada em árias que expressavam raiva, mas por volta de meados do século, o basso buffo ("baixo cômico") já estava se tornando usual; há muitos exemplos nas óperas de Pergolesi, Mozart e Rossini. No século XIX, a voz baixo tendeu a ser usada para violões (Mefistófeles, Alberich) e figuras detentoras de autoridade, tais como o Rei Mark, de Wagner, e Boris Godunov. Esses papeis requerem vozes do tipo basse noble e basso profondo, particularmente associadas à música russa. Um outro tipo, utilizado no começo do século XIX, é o baixo cantante, ou basso cantante, que pede uma voz bem mais leve.

Baixo" é também empregado para designar qualquer instrumento de som grave, particularmente o contrabaixo (em contextos orquestrais ou jazzísticos), ou para qualificar nomes de instrumentos. Entre os exemplos encontram-se a flauta baixo (um instrumento em dó, uma 8ª abaixo da flauta normal; o termo é às vezes aplicado incorretamente à flauta contralto, em Sol); o clarinete baixo ou "clarone", normalmente em Si bemol, uma 8ª abaixo do soprano; o sax baixo, em Si beml, uma 8ª abaixo do tenor; o trompete baixo, uma 8ª abaixo do trompete normal; e o trombone baixo, em Sol ou Fá, uma terça ou 4ª menor abaixo do trombone tenor. A "viola baixo", ou viola da gamba, é o instrumento baixo padrão da família das violas. A expressão "violino baixo", foi usada para o basse de violon, um instrumento de c.1700 afinado um tom inteiro abaixo do violoncelo; também foi aplicado ao próprio violoncelo.

A "clave de baixo" (clave de Fá) usada pela maioria dos instrumentos no registro de baixo e barítono. mostra o fá abaixo do dó central na segunda linha a partir do alto do pentagrama.

REFERÊNCIA
SADIE, S. Dicionário Grove de Música. Tradução de Eduardo Francisco Alves. Rio de Janeiro : Zahar, 1994. 1060 p.
Copyright © 2010 Asas da Alva Publicidade e Consultoria Pedagógica LTDA - Webmaster : Flaviandekson P. Teixeira