Escultura Sonora
Escultura ou estrutura que cria som, nem sempre de natureza musical, por meio de seu próprio mecanismo interno, ou quando ativada por elementos ambientais, tais como o vento, a água ou a luz do sol, ou quando manipulada.

Houve um surto de atividade com esculturas sonoras no início do século XX quando os futuristas construíram instrumentos ruidosos. As apresentações de som ambiental, valendo-se do ruído industrial, tiveram início após a I Guerra Mundial e, a partir dos anos 30, músicos como Harry Partch, I. A. Mackenzie e os irmãos Baschet começaram a fazer experiências com novos instrumentos e com estruturas que produziam sons. Sistemas mecânicos, motores elétricos, circuitos eletrônicos e mecanismos vibratórios eram utilizados, junto com elementos que acionavam as esculturas sonoras. John Cage e Earle Brown estão entre os compositores que usaram esculturas como instrumentos de percussão, e desde 1960 esculturas ao ar livre, que produzem sons musicais, vêm sendo projetadas por muitos músicos e artistas ocidentais.

REFERÊNCIA
SADIE, S. Dicionário Grove de Música. Tradução de Eduardo Francisco Alves. Rio de Janeiro : Zahar, 1994. 1060 p.
Copyright © 2010 Asas da Alva Publicidade e Consultoria Pedagógica LTDA - Webmaster : Flaviandekson P. Teixeira